RACCO Abraça Você

Seja bem vindo ao Blog da RACCO Londrina.

A RACCO é um Sistema de Marketing Multinível onde TODAS as pessoas podem realizar seus mais diversos sonhos!

Entre em contato conosco e saiba como ser parte desta maravilhosa empresa.

(43) 3322-3999
racco.promotoria@sercomtel.com.br

18 de nov de 2009

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do uso do Filtro Solar

1) O que significa o número do fator de proteção solar, o FPS?
Ele sinaliza quantas vezes mais a pele receberá proteção extra após a aplicação do produto. Por exemplo, se você fica vermelho a partir de 10 minutos de exposição solar, com o uso do protetor FPS 15 ficará protegido por 150 minutos (ou seja, 15 vezes os 10 minutos), o que equivale a cerca de duas horas e meia, sem entrar na água.

2) A partir do FPS 30 todos os filtros são iguais?
Não. Na verdade, o que acontece é que acima do FPS 30, o percentual de proteção sofre uma variação muito pequena. Por exemplo, enquanto o FPS 30 filtra 96,7% da radiação solar, o FPS 40 filtra 97,8%. Esta é uma idéia que foi divulgada de forma errada. O filtro solar com FPS 30 bloqueia a maior parte dos raios UV e o aumento do FPS aumenta pouco o bloqueio destes raios. No entanto, o tempo em que o filtro solar continuará a absorver os raios UV será maior quanto maior for o FPS, diminuindo a frequência da reaplicação.
Porém este pouco a mais de bloqueio dos raios solares, pode, devido ao efeito cumulativo , com o passar dos anos diminuir o fotoenvelhecimento e impedir o desenvolvimento de um câncer cutâneo.

3) É realmente necessário usar o filtro solar todos os dias, mesmo durante o inverno ou períodos chuvosos?
“Assim como a pasta de dente e o fio dental, o protetor também deve fazer parte da sua
rotina de higiene e beleza”, aconselha a dermatologista Paula Bellotti. E, se você lançar
mão daquela desculpa clássica de que vive correndo e não tem tempo para criar mais
esse hábito, a médica dá uma dica: “Deixe o produto em local visível ou próximo de seus itens pessoais. Isso irá ajudá-lo a ter disciplina. Quando estiver mais velho vai lembrar desse conselho e perceber que valeu a pena”, garante. Segundo as especialistas, a proteção da pele deve ser feita diariamente, mesmo quando não há sinal de sol. “A radiação UVA, grande responsável pelo envelhecimento precoce, mantém-se praticamente constante em todasas estações do ano e mesmo nos dias nublados e chuvosos”, explica Carla Albuquerque, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

4) Se eu não estiver exposto diretamente ao sol, mesmo assim devo passar o protetor por todo o corpo ou somente nas áreas que ficam descobertas?
“No dia-a-dia, passe o produto nas regiões que ficam mais expostas ao sol: rosto, pescoço, orelhas, colo, braços e mãos”, recomenda a dermatologista Paula Belotti.

Cuidados especiais no verão – nesta época do ano, além da intensidade de radiação que chega na superfície da Terra ser maior, há a diminuição da proteção natural a que estamos expostos, pelo desgaste da camada de ozônio. Portanto, evite o excesso de exposição solar e use fatores de proteção com os filtros solares.

Não deixe de usar protetor solar diário - as lâmpadas fluorescentes, presentes nos escritórios, emitem radiação que pode levar a alterações de proteínas de nossa derme, levando à flacidez da pele.

Se você tem pele clara, não deixe de protegê-la – a pele clara deve ser protegida da luz com filtros solares que ofereçam proteção contra raios ultravioletas (tanto UVA como UVB).

Use cremes hidratantes e protetores faciais com antioxidantes - a radiação ultravioleta, quando absorvida pela nossa pele, leva a formação de radicais livres que podem causar o envelhecimento da pele. O uso contínuo de cremes hidratantes adicionados de substâncias, como a vitamina C, a vitamina E e outros antioxidantes específicos, ajudam na proteção contra os radicais livres.

Evite o excesso de exposição solar - o excesso de exposição aos raios ultravioletas pode causar problemas mais graves, como a diminuição da imunidade, que propicia a piora ou o reaparecimento de processos infecciosos, como o Herpes simples ou outras doenças virais ou bacterianas.